Salvos por sua morte

Liturgia da Palavra

Leituras:

Isaías 53, 10-11
Salmo 33, 4-5, 18-20, 22
Hebreus 4, 14-16
Marcos 10, 35-45

(Podcast)

Domingo XXXIX do Tempo Comum, ano B

Os filhos de Zebedeu mal sabem o que eles estão pedindo no Evangelho de hoje. Eles estão pensando em termos de como os gentios de governarem, de privilégios e honras reais.

Mas o caminho para o reino de Cristo é por meio da sua cruz. Para compartilhar em Sua glória, devemos estar dispostos a beber o cálice que Ele bebe.

O cálice é uma imagem do Antigo Testamento para o julgamento de Deus. Os maus seriam feitos para beber o cálice em punição por seus pecados (cf. Sl 75, 9; Jeremias 25, 15, 28; Isaías 51, 17). Mas Jesus veio para beber o cálice em nome de toda a humanidade. Ele veio para ser batizado, o que significa mergulhado ou imerso nos sofrimentos que todos nós merecemos pelos nossos pecados (compare Lucas 12, 50).

Neste Ele cumprirá a tarefa de servo sofredor de Isaías, a quem lemos em primeira leitura de hoje.

Como servo de Isaías, o Filho do homem vos dará Sua vida como oferta pelo pecado, como uma vez os sacerdotes de Israel ofereciam sacrifícios pelos pecados do povo (veja Levítico 5, 17-19).

Jesus é o Sumo Sacerdote celestial de toda a humanidade, como ouvimos na Epístola de hoje. Sumos sacerdotes de Israel oferecia o sangue de bodes e bezerros no santuário do templo. Mas Jesus entrou no santuário celeste com seu próprio sangue (Hebreus 9, 12).

E ao levar nossa culpa e oferecendo a sua vida para fazer a vontade de Deus, Jesus resgatou “a muitos” – pagando o preço para redimir a humanidade da escravidão espiritual do pecado e da morte.

Ele nos libertou da morte, como nos alegramos no Salmo de hoje.

Precisamos apegar-se a nossa confissão de fé, como a Epístola de hoje nos exorta. Devemos olhar para as nossas provações e sofrimentos como a nossa parte do cálice que Ele prometeu àqueles que acreditam nele (ver Colossenses 1, 24). Devemos nos lembrar de que fomos batizados na sua paixão e morte (Romanos 6, 3).

Em confiança, vamos aproximar do altar de hoje, o trono da graça, em que nós bebermos o cálice do Seu sangue salvador (ver Marcos 14, 23-24).

Até a próxima meditação da Liturgia Dominical.

Nota das citações bíblicas:

Todas as citações bíblicas contém um link que direciona a tal citação (e todas as passagens referentes à liturgia se encontram em inglês). Este link é extraído do Biblia.com e a tradução da Bíblia usada é o New American Standard Bible: 1995 Update.

Por Alan Lucas, gestor e blogueiro do Pequeno Monge Agostiniano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s